blog

LEMBRO-ME - ÍNDIA

Lembro-me, claro que sim! Difícil esquecer as provações que a cidade de Calcutá submete a qualquer visitante ocidental.

Como poderia me esquecer do vai e vem da densa massa humana que ocupa a 3ª cidade mais populosa da Índia? Das estrondosas buzinas capazes de moer o cérebro de um sujeito normal, imagina de um cuja intolerância ao barulho é quase zero?

Lembro-me que, como estratégia de sobrevivência, para suportar a poluição e ao intenso caos desta cidade busquei refúgios nas margens do rio Hooghly, nas periferias da cidade e nos parques urbanos. Confesso que a Calcutá que fotografei não representa ao estereótipo da Kolkata que nos é apresentado pelos livros, filmes e fotografias.

Foi nesta cidade que vivi as mais belas e desafiadoras experiências, onde a pobreza se mescla com o amor e vice versa. Não é por acaso que a missionária de origem albanesa, Madre Teresa, ali encontrou um campo fértil para semear o mais belo projeto de caridade e amor.

Acreditem, em Calcutá o impossível é possível! 

Um dos parques urbanos da cidade de Calcutá.