Cultura dos Multilados

Cultura dos Multilados

 (...) O Sertão é terra de gente pobre, mas não é pobre o Sertão. A pobreza, no Sertão, é puro fruto das desigualdades enraizadas na história do Brasil: desigualdade na distribuição das terras, das águas, da educação, da saúde, das oportunidades... É nesta terra que cresceu a cultura do sisal, planta originária do México (agave sisalana) e introduzida na Bahia em 1903.

(...) O ensaio Cultura dos Mutilados revela um lado perverso do Brasil. Não trata apenas do contraste entre riqueza e pobreza como tragédia social. É mais do que isso. Revela que em nosso país a produção de riqueza não raramente é fonte de tragédia pessoal, que marca fisicamente os trabalhadores amputando-lhes os braços e as mãos com os quais trabalham e sobrevivem. Revela o desprezo das elites econômicas para com os trabalhadores responsáveis pela geração de sua riqueza, o descaso das autoridades para com os direitos básicos dos cidadãos, a conivência e indiferença da sociedade em geral para com a tragédia alheia.

Fragmentos extraídos do livro Bahia – Saga e Misticismo

Por Antônio Márcio Buainain

 

 

1808ft36.jpg
1802FT21ACTLUPSIZED.jpg
1806FT7FS01-Edit.jpg
1809FT31ACTLUSH.jpg
1816FT32.jpg
1772FT26ATLUSH-Edit.jpg
1769FT34CTL.jpg
1768FT30CT.jpg
1815FT15FS02-Edit.jpg
1839FT29 HD-Edit.jpg
1778FT35FS02-Edit.jpg
1810FT12T.jpg
1788FT21T.jpg
1774FT14HD2.jpg